19 julho, 2014

A Transição do Planeta Terra - Dr. Bezerra de Menezes - Médium: Divaldo Pereira Franco.

A Transição do Planeta Terra.
Autor: Dr. Bezerra de Menezes (espírito).
Médium: Divaldo Pereira Franco.
.
.
A população terrestre alcança a passos largos o expressivo número de sete bilhões de seres reencarnados simultaneamente, disputando a oportunidade da evolução...
Embora as grandes aquisições do conhecimento tecnológico e dos avanços da ciência na sua multiplicidade de áreas, nestes dias conturbados os valores transcendentes não têm recebido a necessária consideração dos estudiosos que se dedicam à análise e à promoção dos recursos humanos, vivendo mais preocupados com as técnicas do que com o comportamento moral, que é de suma importância. Por isso, a herança que se transfere para as gerações novas que ora habitam o planeta diz mais respeito à ganância, ao prazer dos sentidos físicos, à conquista de espaço de qualquer maneira, dando lugar à violência e à desordem...
Têm ocupado lugar o materialismo e o utilitarismo, contexto em que muitos comprazem-se distantes da solidariedade, da compaixão e dos espírito fraternal, ante a dificuldade da real vivência do amor, conforme ensinado e vivido por Jesus.
Os indivíduos parecem anestesiados em relação aos tesouros da alma, com as exceções compreensíveis.
Felizmente, o fim do mundo de que falam as profecias refere-se àquele de natureza moral, com a ocorrência natural de sucessos trágicos que arrebatarão comunidades, facultando a renovação, que a ausência do amor não consegue lograr como seria de desejar...
Esses fenômenos não se encontram programados para tal ou qual período, num fatalismo aterrador como muitos que ignoram a extensão do amor de Nosso Pai divulgam,mas para um largo período de transformações, adaptações, acontecimentos favoráveis à vigência da ordem e da solidariedade entre todos os seres.
É compreensível, portanto, que a ocorrência mais grave esteja, de certo modo, a depender do livre-arbítrio das próprias criaturas humanas, cuja conduta poderá apressar ou retardar a sua constituição, suavizando-a ou agravando-a...
Se as mentes, ao invés do egoísmo, da insensatez e da perversidade, emitissem ondas de bondade e de compaixão, de amor e de misericórdia, certamente o panorama na Terra seria outro.
Compreendendo-se a transitoriedade da experiência física, no futuro a psicosfera do planeta será muito diferente porque as emissões do pensamento alterarão as faixas vibratórias atuais que contribuirão para a harmonia de todos e para o aproveitamento do tempo disponível.
O amor de Nosso Pai e a ternura de Jesus para com o Seu rebanho diminuirão a gravidade dos acontecimentos, mediante também a compaixão e a misericórdia, embora a severidade da lei do progresso.
Todos nos encontramos, desencarnados e encarnados, comprometidos com o programa da transição planetária para melhor. Por essa razão, todos devemos empenhar-nos no trabalho de transformação moral interior, envolvendo-nos em Luz, de modo que nenhuma treva possa causar-nos transtorno ou levar-nos a dificultar a marcha da evolução.
Certamente, os espíritos fixados nas paixões degradantes sintonizarão com ondas vibratórias próprias a mundos inferiores, para eles transferindo-se por sintonia, onde se tornarão trabalhadores positivos pelos recursos que já possuem em relação a essas regiões atrasadas nas quais aprenderão as lições da humildade e do bem proceder. Tudo se encadeia nas Leis divinas, nunca faltando recursos superiores para o desenvolvimento moral do espírito.
Nesse imenso processo de transformação molecular até a conquista da angelitude, há vários meios propiciatórios para o crescimento intelecto-moral, sem as graves injunções desagradáveis. Todos esses meios, entretanto, têm como base o amor e o trabalho.
Assim, a divulgação do Espiritismo é de fundamental importância por demonstrar a todos a imortalidade, a justiça divina, a mediunidade, os mecanismos de valorização da experiência na reencarnação e o imenso significado de cada momento existencial. Desse modo, convidemos a todos o aprendizado pelo amor, à reflexão e ao labor da caridade fraternal com que se enriquecerão, preparando-se para a libertação inevitável pela desencarnação, quando ocorrer.
Louvar e agradecer ao Senhor do Universo pela glória da vida que nos é concedida e suplicar-Lhe auxílio para sermos fiéis aos postulados do pensamento de Jesus, nosso Mestre e Guia, constituem deveres nossos em todos os momentos.
Entretanto, todos os trabalhadores do bem devem atentar para o fato de que experimentarão o aguilhão da dificuldade, sofrerão o apodo e a incompreensão desenfreada que têm sido preservados pela invigilância dos que nada contribuem.
Todos serão chamados ao sacrifício, de alguma forma, a fim de demonstrarem a excelência dos conteúdos evangélicos, considerando-se, por um lado, as injunções pessoais que exigem reparação e, por outro, a fidelidade que pede confirmação pelo exemplo.
Que se não estranhem as dificuldades que se apresentam inesperadamente, causando, não poucas vezes, surpresa e angústia. Por isso, o refúgio da ração apresenta-se o lugar seguro para reabastecer as forças e seguir com alegria.
As entidades que se comprazem na volúpia da vampirização das energias dos encarnados distraídos e insensatos, voltam-se contra os emissários de Jesus onde se encontrem, gerando conflitos em sua volta e agredindo-os com ferocidade. O trabalhador do Mestre, por sua vez, deve voltar-se para a alegria do serviço, agradecendo aos Céus a oportunidade auto iluminativa, sem que nisso ocorra qualquer expressão de masoquismo. Aliás, constitui-nos uma honra qualquer sofrimento por amor ao ideal da verdade, à construção do mundo novo.
Que o discernimento superior possa assinalar-nos a todos, e que os mais valiosos recursos que se possuam sejam colocados à disposição do Senhor da Vinha que segue à frente.
.
Dr. Bezerra de Menezes.
.
.
.
Psicografia de Divaldo P. Franco. Obra: "Amanhecer de uma nova era", de Manoel Philomeno de Miranda (espírito).
.

Psicografia: A Nobreza da Humildade - Dr. Bezerra de Menezes - Médium: Marcelo Passos.

A Nobreza da Humildade.
Autor: Dr. Bezerra de Menezes (espírito).
Médium: Marcelo Passos.
.
.
Nosso Senhor Jesus Cristo veio chamar todos aqueles que estão cansados e arrependidos dos seus pecados. Veio para acalmar os corações humilhados e confortar os enfermos. Veio para amar os mansos e humildes de coração que igualam seus corações ao Dele conforme a vontade do Pai.
O planeta expiatório é a escola mais importante em que todos os irmãos hão de viver e vencer até alcançar a divina imagem do Criador no Reino Sagrado da Felicidade. O planeta cuja predominância dos males é mais severa e tentadora é onde todos deverão passar pelos testes e superar os obstáculos, tendo no coração o conhecimento das obras divinas do Evangelho praticado de Jesus no Novo Testamento, e obedientes à vontade e aos "Mandamentos do Criador", psicografado no Monte Sinai por Moisés.
Diversos irmãos encarnados e desencarnados já trouxeram - nas escritas e nas palavras tocadas pela vontade divina -, tudo relacionado ao nosso comportamento frente à humanidade que clama pela salvação pessoal e de seus entes que são entregues à eternidade, após estagiar no planeta e acumular sentimentos e atos para com seu próximo e para si mesmo. A justiça divina não agirá apenas sobre o que os irmãos praticam na vida carnal presente, Sua lei é aplicada ao nosso espírito e pontuada em conjunto e a cada instante das boas e más ações expressadas, às quais somamos ao longo da existência. E sabendo aproveitar as oportunidades presentes para saldar dívidas pretéritas na prática reformadora dos nossos erros, e elevação nas boas ações, sempre na prática da caridade verdadeira para com a evolução do planeta e da existência coletiva, teremos o caminho traçado pelos anjos que nos darão o rumo da Boa Nova.
Ao contrário de muitos que se intitulam justos e conhecedores de Suas verdades, aos quais poucos têm acesso e liberdade de somar Seus conceitos e conhecimentos, a estes, a misericórdia divina não concederá méritos de justiça conforme suas conveniências creem, pois muitos de posse do orgulho, e muitos destes irmãos considerando-se donos de bens e pessoas, as quais o Senhor não lhes confiou, e a cada acessório mesmo em abundância, nada justifica a prática do egoísmo e da vaidade, elevando assim, o indivíduo, à prática nefasta da arrogância para com os pequeninos e desafortunados da matéria, usando de poderes materiais e mesmo intelectuais, para humilhar e julgar conforme suas leis e costumes, os pobres e miseráveis de posses, sendo que a estes são conferidos os títulos mais justos, ricos e verdadeiros, onde lhes permitirão o acesso mais fácil ao Reino Eterno. Seu maior bem é a nobreza da humildade, qualidade que somente os verdadeiros filhos do Senhor adquirem com gratidão, perseverança, simplicidade, fraternidade e devotamento às obras divinas que são acessíveis a todos.
Ser humilde não é se permitir ser humilhado e mesmo massacrado sem resistência, mas é compreender com fé na justiça divina, as fraquezas por meio da violência que lhe é aplicada pelo outro; aos que se valem dos seus vastos instrumentos e conhecimentos confiados pela divindade para a melhoria da coletividade e das inúmeras dificuldades de irmãos em progresso, onde muitos espíritos encarnados são levados a submissão daqueles que detém méritos das matérias divinas em diversos campos de trabalho que lhes são confiados na missão do ensinamento. A estes injustos, é à justiça divina que lhes caberá a melhor consequência, e não será revidando na mesma proporção à mesma injustiça que será feita a devida justiça, mas é se calando para a cólera e desequilíbrio do outro e confiando no maior consolador que é Jesus, Este que levará os pobres e os humilhados à proteção de Deus Pai.
Bens materiais são acessórios para auxiliar todos os irmãos em tarefas evolutivas do espírito e na prática divina da caridade no seu vasto horizonte. Pode um irmão deter os maiores e mais profundos conhecimentos e riquezas, seja em qual matéria for, mas se não usá-los com justiça, desprendimento, honestidade e respeito, e não distribuí-los conforme lhes é confiado, de nada adiantará gabar-se de tamanhas posses, pois no momento em que prestar esclarecimentos de seus atos, em nada esses bens lhes servirão de álibi a seu favor, e o que ficará será o vazio das ações e a vergonha da omissão pelo egoísmo e preconceitos predominantes, dos verdadeiros miseráveis da alma, ficando então, com as dívidas acumuladas frente a bondade divina, que lhe permitirá uma nova oportunidade para viver e compreender o sentido da humildade, aplicando-lhe as restrições materiais e mesmo espirituais através de enfermidades que o espírito adquiriu pelos próprios atos, com o propósito de purificar suas manchas e aprender o real sentido da humildade, pois esta deverá ser o trunfo para se viver a verdadeira nobreza do bem e resgatar o tempo perdido.
O instituto da humildade não estará simplesmente relacionado com as restrições e misérias materiais, não! Pode o rico até ter mais humildade que o pobre e também entrar com louvor no Reino dos Céus. Claro que para este os desafios da luta com as chagas do orgulho, da vaidade, do egoísmo serão bem maiores do que para aquele que somente tem o mínimo para caminhar. Mas o que verdadeiramente será considerado, são as boas obras que praticamos para com o quê e quem nos fora confiado na prática da caridade pura, verdadeira e desprendida de toda forma de orgulho que veda os olhos para os irmãos em Deus.
Não fujas da simplicidade, ame e ajude sempre sem olhar a quem! Estenda sempre as suas mãos para aqueles que estiverem em maiores dificuldades que você, afinal, nada lhe custará ou deixar-lhe-á em qualquer dificuldade, apenas terá os bons olhos de Deus e sua verdadeira justiça, voltados para você.
.
Dr. Bezerra de Menezes. 
.
.
.
Psicografia: médium Marcelo Passos.
Fonte (e outras psicografias de mesma autoria, atribuídas ao Espírito de Dr. Adolfo Bezerra de Menezes):
.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...