26 janeiro, 2013

Obsessão espiritual, como acontece? - Autoria: Cristina Longhi.


Obsessão espiritual, como acontece?
Autoria: Cristina Longhi.
.
.
.
São muitos os motivos que contribuem para a obsessão espiritual e muitos outros que a mantêm.
Espíritos obsessores são seres que já morreram e são levados a obsediar alguém, geralmente em troca de favores ou em função de uma vingança. Muitos obsessores acabam sendo comandados por grupos de espíritos na mesma situação que agem como chefes.
Trata-se de uma grande ilusão por parte do espírito obsessor, ele não tem o conhecimento exato das leis universais, não entende que fazendo isso só está "impedindo" sua própria evolução e criando mais problemas a si mesmo. Muito parecido com a situação em que alguém prejudica outra pessoa "por baixo dos panos" achando que se ninguém está vendo, não haverá consequências. Doce ilusão!
Quando a pessoa é obsediada, comumente é porque de certa forma, a pessoa não percebe que deveria estar no controle da própria vida. É um processo bilateral onde existe uma permissão para que isso aconteça. Não permitir que isso continue ocorrendo é uma questão de aprendizado no qual a pessoa precisa entender que caminho percorreu para chegar até onde está. Como ficou tão suscetível assim.
Espíritos obsessores têm uma vibração energética baixíssima e, por isso, o obsediado acaba se igualando em vibração com o obsessor. Isso se verifica quando as pessoas se deixam levar por tudo o que acontece à volta delas; mais uma vez falando, perdem o controle do "próprio barco".
Mágoas, ressentimentos, medos, irritações, preocupações, revoltas, pensamentos persistentes contribuem para que a pessoa entre em um nível vibracional onde fica mais vulnerável a tudo isso.
Outra circunstância que costuma fazer a vibração energética baixar bastante e abrir canal para estes seres é o vício, assim como as drogas, o cigarro e a bebida. Obsessores adoram se alimentar do "cheirinho" e "emanações" provocadas pelos vícios.
Para se livrar disso, é imprescindível a pessoa, em primeiro lugar, querer. E, em segundo lugar, precisa fazer toda uma reestruturação energética, emocional e física para se libertar de vez. Muitos conseguem somente se determinando a realizar isso, mas muitos não conseguem enxergar sozinhos qual o caminho novo que devem tomar.
Quando a pessoa se decide e passa pelo processo terapêutico, geralmente em um mês ela muda toda a sua vibração e, consequentemente, seu modo de enxergar certos fatos que fizeram com que ela passasse a agir na vida de um determinado modo.
Assim, o obsessor não se interessa mais e vai embora porque a configuração energética do obsediado muda totalmente.
 .
.
 
.
.
Autoria: Cristina Longhi.
.
Nota "Transicionando/Blog Intermediando":
Frequentar uma Casa Espírita, ter o hábito da oração e/ou meditação, de leituras instrutivas e sobretudo, da prática de AÇÕES positivas, contribui significativamente, para a cura e/ou melhora do quadro obsessivo. Além da própria conscientização e vontade de se curar, mudança de hábitos, introdução de técnicas e terapias alternativas diversas, como proposta pela autora do artigo.
.

2 comentários:

  1. No final intermediando amor, penso que sempre trata-se de um convite a renovação, que não precisemos aceitá-lo assim a duras penas.
    É o real arrependimento com compromisso na reforma íntima que nos impedi de ficar paralisados na culpa de algum ato passado, a transformação moral que nos impulsiona a seguir adiante e testemunhar p/ o amigo que se encontra iludido investindo o seu tempo em atos obsediadores que mudamos p/ que finalmente possamos entrar em melhor sintonia e seguir adiante firme e forte na vida, nesta ou em outra dimensão. Em um quadro assim, obsediado e obsessor, ambos precisam ser conscientizados, fica muito mais fácil a compreensão quando somos espiritas, mas, acredito que p/ os que não são e também estão expostos a esse quadro, sempre é oferecido uma luz que lhe possibilite discernimento p/ mudanças de atitudes.

    ResponderExcluir
  2. Correta explanação, querida Bárbara. Todos os caminhos (religiosos ou não), nos conduzem a Deus. O que difere são as escolhas de cada um (como aquelas relacionadas ao perdão - dar e receber), de acordo com o livre arbítrio, no que poderá determinar as estações de tempo nas quais estaremos nos dedicando ao nosso aprimoramento evolutivo. Assim, poderemos estacionar por tempo indeterminado, como até por séculos diante de uma nossa dificuldade ou avançar mais céleres, dias, semanas, meses, anos, décadas ou séculos à frente. Sendo que o bondoso Deus - e seus emissários -, que em hipótese alguma nos desampara, estará sempre a nos esperar em amor incondicional e Luz. Muita paz e gratidão pela instrutiva participação!

    ResponderExcluir

Comentários moderados. Participações ofensivas ou anônimas não serão publicadas. Gratidão, Paz e Luz!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...