26 dezembro, 2011

Psicografia de Francisco Cândido Xavier, pelo espírito de Emmanuel - O Homem - Letra e música: Roberto Carlos e Erasmo Carlos


O Homem
Letra e música: Roberto Carlos e Erasmo Carlos
 .
Psicografia de Francisco Cândido Xavier, pelo espírito de Emmanuel
.


.
.
Um certo dia um homem esteve aqui
Tinha o olhar mais belo que já existiu
Tinha no cantar uma oração.
E no falar a mais linda canção que já se ouviu.
Sua voz falava só de amor
Todo gesto Seu era de amor
E paz, Ele trazia no coração.
Ele pelos campos caminhou
Subiu as montanhas e falou do amor maior.
Fez a Luz brilhar na escuridão
O Sol nascer em cada coração que compreendeu
Que além da vida que se tem
Existe uma outra vida além e assim...
O renascer, morrer não é o fim.
Tudo que aqui Ele deixou
Não passou e vai sempre existir
Flores nos lugares que pisou
E o caminho certo pra seguir
Eu sei que Ele um dia vai voltar
E nos mesmos campos procurar o que plantou.
E colher o que de bom nasceu
Chorar pela semente que morreu sem florescer.
Mas, ainda há tempo de plantar
Fazer dentro de si a flor do bem crescer
Pra Lhe entregar
Quando Ele aqui chegar
Tudo que aqui Ele deixou
Não passou e vai sempre existir
Flores nos lugares que pisou
E o caminho certo pra seguir
Tudo que aqui Ele deixou
Não passou e vai sempre existir
Flores nos lugares que pisou
E o caminho certo pra seguir


.
.
A letra dessa música é uma psicografia de Chico Xavier pelo espírito Emmanuel que foi entregue a Roberto Carlos nos “anos 70” em visita a Uberaba (MG) e juntamente com Erasmo Carlos, no ano de 1973, a transformaram nessa magnífica canção que emociona ao falar com simplicidade, mas extrema beleza, da passagem do Mestre (Jesus Cristo) entre nós.
.
Créditos: Blog Compreender e Evoluir  25/12/2011
.

13 dezembro, 2011

Psicografia: O Brilho do Natal - Luiz Sérgio - Canal: Francyska Almeida

.
O Brilho do Natal
Luiz Sérgio
.
Canal: Francyska Almeida
.
.
.
É Natal.
Luzes coloridas enfeitam casas, ruas, avenidas...
No entanto, muitos corações permanecem opacos, sem brilho e sem atitudes de doação...
O mundo em festa comemora o brilho do Natal e do aniversariante.
É Natal, período em que Jesus vem pessoalmente, visitar os locais de sofrimento dos pobres de espíritos, dos estropiados, dos coxos, dos cegos, enfim, dos enfermos da alma.
O mestre chora por todos que ainda não se fizeram instrumentos de serviço do Seu amor. Leva o Seu abraço também aos idosos desamparados e relembra Seus pais durante a Sua trajetória de amor, através das fugas inesperadas com o receio de serem vistos em suas caminhadas...
E chora agradecendo ao Grande Pai, esses Seus amados tutores da Terra: José o carpinteiro e Maria, a Rosa Mística de Nazaré.
Tempos se foram, mas, na época de Natal, Ele fará sempre a Sua excursão em visita à Terra, aos sedentos de amor, aos doentes da alma, que um dia se redimirão diante da eternidade.
Para cada família que se reúne no Seu aniversário, em Seu nome, Ele lá estará presente em Luz, abençoando da forma que gosta, com a presença do Seu inesquecível amor extensivo aos demais habitantes do Planeta Terra.
Infelizmente, ainda não temos olhos para vê-Lo, apenas senti-Lo, de acordo com o nosso entendimento e a nossa sensibilidade de coração.
Sejamos bons não somente uma vez por ano, mas sempre, para sentirmos com mais assiduidade, a Luz do Cristo entre nós e dentro de nós.
Que o Natal lhes traga o valor das virtudes através das pequenas coisas e dos gestos simples e sinceros.
Feliz Natal todos os dias!
O pequeno servidor do Cristo Jesus:
.
.
Luiz Sérgio
.
.
.
Canal: Francyska Almeida (E-mail: sojacomluz@yahoo.com.br)
Fonte: http://cristaiscelestes-novaera.webnode.com/

.

07 dezembro, 2011

Psicografia: Perseverai - Dr. Bezerra de Menezes - Canal: Emanuel Cristiano

.
Perseverai
Dr. Bezerra de Menezes
 .
Canal: Emanuel Cristiano
04/12/2011
.
 .
Filhos,
Ouvistes as vozes lamuriantes descrevendo um cenário sombrio para o porvir.
Vistes as declarações assustadoras dos economistas modernos alertando os homens sobre as riquezas humanas.
Acompanhastes as questões prementes da ecologia e o termo sustentabilidade é convite para vigilância, responsabilidade e ação.
Da mesma maneira, retumbam as preocupações com a política e os homens começam a aprender que o equilíbrio é Lei necessária e cada unidade deve concorrer para o bem estar do todo.
Toda crise leva à reflexão e à ação.
A ciência fulge as nobres e lúcidas idéias que emanciparão os seres das velhas amarras das enfermidades e abrirá campo para uma “nova” filosofia.
Os sábios compreenderão, definitivamente, que há uma estrutura energética organizando e sustentando o aparelhamento biológico. Esse mecanismo, quando desalinhado, propicia os desequilíbrios orgânicos. A ciência do amanhã levará em conta a mente como grande senhora e essência do corpo e o mundo sofrerá bela revolução: a da fé raciocinada.
.
Nossas Casas, não estão alienadas e fora do panorama mundial, devem, por isso mesmo, figurar como educandários comprometidos com a instrução do povo para a compreensão dos fenômenos sociais e espirituais, propagando as idéias espíritas.
São as idéias que, em verdade, modificam as sociedades.
Que seria da lâmpada se Edison (Thomaz) não idealizasse uma iluminação mais eficiente?
Teriam os homens “asas” se Santos Dumont não ideasse o avião?
Como estariam as religiões do Ocidente se Jesus não apresentasse seu ideal para uma civilização mais ética?
Pois bem, esses grandes nomes, e muitos outros, aliaram aos sonhos e ideais o trabalho como força transformadora.
Tendes a Casa Espírita por oficina de amor e laboratório de experiências santificantes; campo em que deve germinar o pensamento renovador do Espiritismo.
Apesar do panorama obscuro da economia global da atualidade, em que a Terra, pela ganância dos pouco desenvolvidos, convulsiona, perseverai!
É preciso revolver o solo para melhorar a produção!
É mister retirar as pragas daninhas, dando lugar aos grãos de mostarda, porque a hora chegou!
Vossa luta independe do barulho do mundo.
Vosso compromisso revela responsabilidade social.
Vossa ligação deve ser com a Verdade.
A perseverança será vosso guia!
Assim, irmãos, trabalhai confiantes, estudando com maturidade nossa Doutrina.
Em vossas horas de angústia, lembrai-vos do Mestre.
Trazei à memória os lídimos e portentosos ensinos do Senhor!
Recordai a perseguição tirânica.
Rememorai a traição, o escárnio, a tiara de espinhos, o flagelum, o madeiro infame, a crucificação e vede que Nosso Senhor perseverou até o fim para ressurgir em Glória Espiritual!
Perseveremos, nós também, mantendo um trabalho espírita de qualidade doutrinária, fiel a Kardec, em nossas Casas e em nossas vidas.
Consolai os aflitos, com vossa presença organizada, na qualificação séria e comprometida dos vossos voluntários.
Dialogai com encarnados e desencarnados, iluminando-os com o verbo Espírita.
Quando, porém, a sombra da tristeza cair sobre vós, abandonai a autocomiseração e continuai servindo!
Nenhuma Casa Espírita sobrevive sem a participação ativa e, doutrinariamente correta, dos seus adeptos.
Nenhuma Instituição séria cumprirá seu papel espírita, sem a presença do voluntário nas obras doutrinárias e de promoção humana.
Filhos, desculpai-nos se vos rogamos em demasia, é que o Evangelho requer participação.
O Senhor necessita dos seus discípulos e apóstolos no mundo, apresentai-vos depressa!
Todo casamento requer testemunho. Já que vos unistes à Santa Doutrina, oferecei a ela o sacrifício das vossas horas vazias, enobrecendo-a com vossa colaboração humanitária.
Irmãos, filhos do coração!
Vosso trabalho na Seara Espírita pode parecer pequenino, mas, estamos todos semeando para o amanhã.
Vede as estrelas, testemunhas silentes e milenares da evolução dos seres. Mesmo no silêncio universal, cumprem com seu papel no infinito, iluminando o Cosmo!
E, apesar de toda negritude, é na escuridão que luciferam com maior vigor.
Imitai-as!
Brilhe, portanto, a vossa Luz diante e para os homens.
Avante, irmãos!
Filhos do Evangelho, vossa bandeira é o trabalho, vosso sacrifício é o labor em benefício do outro e de vós mesmos!
Perseverai, amigos, convictos de que a Doutrina Espírita é programação Divina!
Mesmo que o mundo convulsione, a Lei não muda!
Mesmo que os homens façam guerra, a Lei permanece a mesma!
Mesmo que fenômenos naturais sacudam a superfície do orbe, a Lei é inexorável!
Mesmo que os tiranos flagelem o povo, por meio da vaidade e do orgulho, a Lei é pétrea!
Essa Lei é a Fraternidade Universal que deverá, por decreto Divino, ser cumprida mais ou menos dia.
Vede, espíritas, vosso trabalho é necessário para a divulgação da verdade, acalmando, esclarecendo e incentivando o povo.
Perseverai, irmãos!
Que nenhum escândalo venha por vós.
Perseverai, irmãos, que vossas Casas produzam e iluminem às criaturas.
Perseverai, porque nossas Casas devem servir, sempre, aos homens dos dois planos da vida para que continuem mantendo seu papel no serviço cristão.
Trabalhando por Jesus e para Jesus seremos amparados na medida de nosso esforço pessoal em benefício do próximo.
Por fim, irmãos, ouvi:
- O Alto conta conosco!
Com votos de paz e muito trabalho, vosso irmão e servidor no ideal espírita,
 .
Bezerra
.
 .
.
 .
Canal: Emanuel Cristiano, em reunião da noite de 04/12/2011 no Centro Espírita “Allan Kardec” de Campinas, Estado de São Paulo, Brasil.
Fonte: Blog Compreender e Evoluir  (07/12/2011)
---------------
.

Psicografia: Acondicionando a clareza em nosso ser - Luiz Sérgio - Canal: Francyska Almeida

.
Acondicionando a clareza em nosso ser
 Luiz Sérgio
 .
Canal: Francyska Almeida
01/12/2011
 .
Pelas vias do coração, nos sutilizamos.
Pelas mãos caridosas que empenhadas no auxílio ao próximo, nos sutilizamos.
Em condicionamento, na prece, ajudamos aos que estão mais distantes das nossas mãos ou do nosso abraço afetivo.
Deus, a principal força que emerge de todos os lados nos alerta a investir no amor!
Mas o amor que ainda vizualizamos é o amor paixão.
É o apego,
É o amor condicional...
Que proposta Deus nos entregaria senão o amor levemente, incondicional,  sutil e acolhedor?
Os entraves terrenos ainda nos fazem recuar ao resgate da nossa Luz.
Tratemos das chagas doentias que ainda teimam em não cicatrizar através da renitência que trazemos do passado.
Somos luzes que podem alumiar outras luzes.
Somos incógnitas para uns e até para nós mesmos.
Qual a dica para esse momento?
Parar para ver-se.
Meditar sobre si.
Desestruturar o que não mais nos rege como sintomas indicados ao bem.
O acaso é uma mera palavra, mas podemos fazer dela os nossos alertas.
Um coração magoado, não pode mais subsistir.
Como conquistar a magnitude de espírito?
Como concatenar os nossos sentimentos e elevá-los a vivências amorosas?
Ó meus amados, somos coadjuvantes do Cristo!
Somos semeadores de estrelas!
Então, por que pararmos num tempo que não mais existe?
A purificação do nosso ser é urgente.
A elaboração de novos padrões, também.
Pequenez de alma já tivemos e não progredimos.
Por que agora permanecer nesse racismo de idéias?
Busquemos o amor do Cristo através da sutilização.
O ouro guardado em nosso ser presisa brilhar na frequência do Cristo Jesus.
Dirão que ainda estão muito longe dessa democracia Cristã.
Almejem renovar-se.
Para que lhes serve o estudo doutrinário das lições do Espiritismo?
Para que as palavras do Cristo gravadas em sua mente, se as mãos não reagem com a fluência que delas saem?
Vivenciemos a fraternidade.
Vivenciemos a agilidade com relação ao nosso próximo.
Não esperem que ele venha a te mendigar, vai até ele...
As lições que dizes ter em relação à vida, terão de aparecer em solicitude.
Relaxemos para que o mal se vá, em dissipação, para nunca mais entrar em nossa vida.
Acondicionemos paz, clareza de entendimento, vivacidade.
Amar é tornar-se refém do amor.
Amar é condicionar-se ao bem, esquecendo-se do mal.
Para que voltar ao passado distante?
Nele já praticamos muitas batalhas que nos proporcionaram feridas.
Muito além dessas dores, somos hoje, peças fundamentais à melhoria interna e a melhora do Planeta Terra!
Ninguém vai praticar o trabalho a que viemos encarregados de fazer: O trabalho de burilamento, o trabalho de caridade, o caminho da bondade com as lições que tantos já lemos nas páginas amarelados do nosso livro, O Evangelho Segundo o Espiritismo ou ainda, do Novo Testamento...
Clareemos as nossas ações.
Recuperemos a foto perdida do amor nos campos de concentração do mal.
Reorganizenos o nosso coração tirando dele as chagas, as dores...
Vamos recompor a nossa vida em vida nova com amor e humildade.
Renegar o amor do Cristo é não ter compreendido a sua missão junto a nós.
Dessa forma, estamos todos solícitos a empreender uma nova comemoração em nosso ser.
Façamos a paz e o mais nos será entregue em memoráveis celebrações que o Criador nos dará.
O Cristo estará dizendo amém ao seu momento.
Amém à sua coragem de se reergueer como chama eterna consciente da Luz que precisa abrigar em seu ser, em retribuição ao amor Divino que recebe todas as horas de sua atual existência.
Em conglomerado de bênçãos, convidamos-lhes a esse festim.
Após os votos de paz, amor entendimento e doação, deliciem-se com as mudanças.
Em partilhas de amor e Luz, sou o servidor consciente do largo da vida onde já aprendi a burilar o meu ser em conexão com o Cristo e Maria de Nazaré.
.
Luiz Sérgio
.
.
Canal: Francyska Almeida  (01/12/2011)
Fonte:
http://cristaiscelestes-novaera.webnode.com/
http://novaera-cristaiscelestes.blogspot.com/
---------------
Créditos: http://intermediandoamor.blogspot.com/

29 novembro, 2011

Renoir convida médiuns pintores para curar com as tintas - Pierre-Auguste Renoir - Canal: Francyska Almeida


Renoir convida médiuns pintores 
para curar com as tintas

Pierre-Auguste Renoir
Canal: Francyska Almeida
.
.
Em saudações benéficas através do meu coração colorido e em festas de amor à vida, volto a vocês pelas vias do coração.
Em luz trabalhamos para o mesmo fim.
Quem somos nós, pintores, mestres?
Não. Somos trabalhadores universais através das tintas e das cores, tentando apagar tudo o quando fizemos de maneira singular ou equivocada.
Ora, diriam, mas isso já faz tanto tempo!
No que concordamos.
Embora, todo trabalho que vimos fazendo em favor do outro, ou melhor  de nós mesmos, ainda não foi suficiente para resgatar os nossos deslizes.
Na época, não havia equilíbrio em nossas vidas. Burlamos as leis superiores.
Qual mestre somos agora?
Da vida, da pintura?
Podemos ter arte, criatividade, mas somos devedores...
As pessoas não entendem e nos ferem tratando-nos ainda como mestres.
Um dia nos mestrificaremos como espíritos, aí sim, aceitaremos esse posto.
Amados! Em celebrações de muito amor estamos todos saudosos, e vamos nos unir para encenar pinceladas coloridas e ainda darmos notificações como trabalhador das cores e das tintas.
Com essa energia, fazemos o nosso trabalho renovador e esse tratamento é muito rápido.
Ah! se todos os médiuns que possuem  habilidades nessa área  se prontificassem a trabalhar para a saúde humana e espiritual através da pintura!
Quão bom seria nos juntar em amor para impulsionarmos a saúde das criaturas.
E aqui vai o convite de todos os trabalhadores das cores, os mesmos  que um dia habitaram as escolas diversas da pintura e que agora, estão pintores do espaço no trabalho de cura e de revitalização das almas, dos espíritos!
[No entanto, o convite também vai a vocês duas que lidam com os lápis de cor no Comluz de Maria, treino e muito amor!]
Aguardamos-lhes sem nenhum receio, comecem, que viremos lhes trazer exercícios nesse treinamento individual.
Com o máximo de carinho e abnegação ao que somos e ao que fazemos, somos alguns pintores do Além, para a cura e o soerguimento de muitos.
Representando aqui os demais, sou o seu velho amigo e conhecido de outras épocas.

.
Renoir
.
 .
.
.
.
Auguste Renoir 
(auto-retrato)

Introdução
Pierre Auguste Renoir, foi um importante artista plástico francês. Fez parte do Impressionismo e destacou-se por suas lindas pinturas. Nasceu em 25 de fevereiro de 1841, na cidade francesa de Limoges. Morreu em 3 de dezembro de 1919 em Cagnes-sur-Mer (cidade no sudoeste da França).
.
Biografia
Já na infância demonstrou grande interesse pelas artes plásticas. Quando criança, trabalhou como decorador em uma indústria de porcelanas em Paris. Com 18 anos, Renoir começou a pintar e decorar persianas e leques. Em 1862, foi estudar na Academia de Belas Artes. Estudou também na academia do pintor suíço Charles Gabriel Gleyre. Nesta academia conheceu outros artistas famosos da época como, por exemplo, Claude Monet e Alfred Sisley. De Monet, Renoir recebeu influência no tratamento da luz, sendo que o trabalho com as cores foi influência recebida de Delacroix.
Seu estilo artístico era marcado pela presença de cores fortes e brilhantes, texturas e linhas harmônicas. O sentimento lírico é outra característica importante nas obras de Renoir. Em suas pinturas prevaleceram as formas humanas individuais, grupos de pessoas e paisagens.
Sua primeira exposição artística ocorreu em Paris, no ano de 1864. Porém, não conseguiu muito reconhecimento. O reconhecimento veio somente em 1874, durante a primeira exposição de artistas da nova escola impressionista. Em 1874, sua pintura Le Moulin de la Galette foi reconhecida como uma grande obra de arte impressionista.
A carreira artística de Renoir foi consolidada com a exposição individual realizada em Paris, na galeria Durand-Ruel, no ano de 1883.
Os últimos 20 anos de vida, Renoir sofreu com sua saúde. Portador de uma doença articular (artrite), o artista continuou pintando com dificuldades. Amarrava o pincel em seu braço para poder realizar suas obras. Mesmo assim, criou trabalhos ricos e importantes.
.
.

28 novembro, 2011

Crianças cristalinas - Mensagem de espíritos que reencarnarão em 2012, como crianças cristalinas - Canal: Francyska Almeida


Crianças cristalinas
 .
Mensagem de espíritos que reencarnarão em 2012, como crianças cristalinas.
Canal: Francyska Almeida
.
.
.






.
Em saudações carinhosas, viemos das nuvens rosa do amor de Maria de Nazaré.
Somos seus pequenos trabalhadores a fincar-nos no Planeta Terra em estratégias amorosas.
Somos crianças, mas somos em essência, figuras experimentadas nos cordéis de trabalho junto à rede do Amor Universal.
Como seres cristalinos preparados para a Nova Era de Luz, viemos à Terra em grupo para exercitar a sabedoria cristalina, a sabedoria caridosa a reinar nos eventos da Nova Era.
Como seres imortais, aguardamos  o momento em que emergiremos ao um corpo de carne menos denso.
Ensinar-lhes-emos  as ciências do espírito, o amor e a sabedoria encerrada em nosso ser.
Mas já abordamos as amadas intermediárias da vida a suscitar-lhes o desejo da maternidade, bem como preparando seus ventres para nossa chegada.
Iluminamos com o nosso raio aqueles que sofrem.
Nosso trabalho é coordenado Pela Mãe Maior, por Deus e pelo Cristo Cristalino.
Somos inúmeros espíritos encarregados de tarefas similares.
Bem sabeis que o amor resolve as questões  de toda natureza do homem.
Em assim, nos explicando, entramos em trabalhos ecléticos com muita facilidade. Com isso, dizemos-lhes também que não temos escolha para ajudar a quem necessita.
Somos seres ultra milenares em compreensão de que a Terra se encontra em apuros energéticos.
Solicitamos  daqueles que já se encontram na teia da Luz, muito empenho na divulgação desses meninos e meninas que virão com a lição da vida pronta na ponta da língua.
Entretanto, se faz lembrar de que, os pais se preparem para tal missão de nos receber com entendimento, benevolência e muito amor.
Partiremos em breve, em incursão carnal, lembrados de nossa grande tarefa de servir, ensinar, executar enfim, às ordens Divinas como trabalhadores fiéis de suas energias.
Que propaguem essa nossa vinda enfatizando de que há também outras crianças que já se encontram em crescimento e que precisam de todo apoio de seus familiares.
Não "endeusem" uma criança por ter talentos espirituais, isso seria algo perigoso e poria em risco toda preparação do seu espírito para que seu trabalho Crístico seja ministrado por suas habilidades na arte de ser.
Lembramos também que, há muitas pessoas que ainda desconhecem sobre o tema “Crianças cristalinas” e suas missões.
Caríssimos canais: está também em suas mãos a tarefa de informar, promover encontros a respeito, e etc.. Esse será também um trabalho da Nova Era.
Meditem e orem para que tenhamos êxitos em nossa breve volta.
Em vasos de amor, cheios de energias super qualificadas, distribuímo-las a todas as mãezinhas que já estão sendo programadas para nos receber nos próximos meses.
Com afeto angelical e com a doçura dos nossos espíritos encaminhados à Divina tarefa Terrena, somos as Crianças Cristalinas regidas pelas estrelas vivas e amorosas que fazem parte da criação Divina, em iluminação constante a cada um de vocês.
Em reverência a todos os corações terrenos,

 .
As crianças cristalinas 
em futuro retorno ao Planeta Terra.
.

.
Nota: Esses seres cristalinos estiveram em tarefa na Terra durante o evento de 11.11.11.
.
Canal: Francyska Almeida (14/11/2011)
Fonte:
Créditos:
20/11/2011
.

29 outubro, 2011

Há algo mais... Um Amor. Uma Luz... (Carta para um Médico que chora uma grande saudade) - Canal: Wagner Borges


Há algo mais... Um Amor. Uma Luz...

(Carta para um Médico que chora uma grande saudade)
Canal:  Wagner Borges

.
Não, eles não morreram!
Podem ter sumido à percepção do sentidos do corpo...
Mas, quem disse que a medida dos sentidos humanos é a medida do universo?
E, aquilo que se sente no coração, pode ser medido por qual parâmetro da mente?
Ah, que médico patologista dissecou algum espírito em suas autópsias?
O que pode ser dissecado é só o corpo, jamais a consciência.
E o Amor, então? Quem pode limitá-lo ou quantificá-lo? E quem é craque nisso?
Eu não posso dissecar um espírito para você, nem prendê-lo numa garrafa.
Nem posso lhe dar o discernimento espiritual necessário para você sentir algo...
O que posso lhe dizer é sobre a certeza que trago em meu coração.
E isso eu não aprendi em nenhuma doutrina, não. É um estado de consciência.
Sou um espírito e você também! E, nesse momento, estamos aqui na Terra.
Estamos com cara de gente e andando pelo mundo, na condição de homens.
Mas, quem disse que somos só isso?... Não, não, nossa cara real não é essa.
Não somos brancos ou negros; nem amarelos ou vermelhos; nem altos ou baixos.
Ah, temos a cara das estrelas! E a nossa raça é a da Luz, como tudo no universo.
E como é que você espera descobrir isso dissecando um cadáver?
Que tal descobrir isso no olhar de alguém querido? Ou olhando um pôr-de-sol?
Ou, simplesmente meditando e refletindo; ou sentindo seu coração...
Contudo, não me peça uma técnica para isso; não é questão de dissecação.
Tem mais a ver com o que se sente, e não se explica. Algo a mais...
E não espere um espírito se materializar diante de você para tirar suas dúvidas.
E nem a morte chegar para pensar nisso, porque você não sabe quando partirá...
E nem pense que o universo está preocupado com o que você acha das coisas.
O lance é com você mesmo. E o seu despertar beneficia a quem mesmo?
Há algo mais... Um Amor. Uma Luz. E isso não se vê com os olhos do corpo.
O seu bisturi é bom para cortar carne, mas nada resolve quando o lance é a Luz.
Por acaso, você espera encontrar, numa cirurgia, o Amor dentro do coração?
Ou ver o brilho das estrelas nos olhos de alguém num exame oftalmológico?
Ou, quem sabe, achar uma consciência numa cirurgia de crânio aberto?
E o que uma trepanação craniana teria a ver com iluminação espiritual?
Não, não. Para achar a Grande Luz, só com alguma Luz iluminando a jornada.
Para falar de Amor, só com o coração; pois só quem ama é que sabe...
Você poderá carregar seu ceticismo e suas dúvidas, mas não para sempre.
Em algum momento, na Terra ou além, você saberá. E isso é com você mesmo.
Estamos aqui na Terra, mas só por um tempo... E depois, algo mais...
Por enquanto, faça o seu melhor. Cure os outros com sua técnica médica.
E no trato particular, de algum jeito, cure suas emoções e seus pensamentos.
Você é médico dos homens, não da alma; e o seu saber tem limites e condições.
Ajude os seus pacientes e fique feliz com isso; cumpra bem sua missão.
Mas não pretenda que o seu saber lhe revele os mistérios da Luz no corpo.
Para isso, precisa de algo mais... Um Amor. Uma Luz.
E isso não se aprende em lugar algum da Terra. É estado de consciência.
E nem precisa morrer para descobrir isso. É coisa que se sente...
E eu comecei esse papo dizendo-lhe o seguinte: eles não morreram, não.
E, agora, continuo dizendo-lhe a mesma coisa: eles não morreram!
Então, escute com seu coração; talvez os seus amigos estejam cantando algo...
Lá do Astral que não se vê com os olhos do corpo -, eles o veem, sim.
E sabem o quanto você os amava. E o quanto a saudade aperta o seu coração.
No entanto, eles também sabem que você é um espírito e que há algo mais...
Sabem que por trás dessa aparência de médico durão está um homem de bem.
Sim, eles sabem que você olha para o céu estrelado e chora quietinho.
E que, às vezes, quando a saudade aperta mais, você quer ir embora também.
Sim, eles sabem de seus acertos e erros, pois o conhecem muito bem.
Sabem que você perdeu sua fé e se deixou levar por diversas ilusões.
Ah, eu não posso lhe provar nada, a não ser isso que estou lhe dizendo aqui.
Como eu poderia lhe dizer o que eles me contaram, em espírito e verdade?
Algo que escutei com os sentidos espirituais, além dos barulhos do mundo.
Como lhe dizer que sua fé ainda está aí, debaixo dessa sua capa de orgulho tolo?
E que o Amor ainda fala com você, mesmo que sua arrogância não lhe deixe ver?
Você se anestesiou espiritualmente, mas quem disse que seu coração aceitou?
E agora, o que fazer com essa saudade? Como operar algo assim, não físico?
Não, eu não tenho como lhe provar nada. Eu só sei desse seu choro secreto.
E que seus amigos não morreram! E que, lá do Astral, eles vibram por você.
Porque a morte não mata as amizades verdadeiras, que são de alma.
Nem apaga o Amor real, que viaja por entre os planos, de coração a coração.
Ah, o que posso lhe dizer mais, que não seja essa certeza que está em meu peito?
E que eu lhe envio por intermédio dessas palavras grafadas aqui.
Quem sabe, se você as ler com o coração, talvez compreenda algo mais...
Sim, algo mais... Um Amor. Uma Luz.

P.S.:
Eu não sou doutor em coisa alguma.
Mas sei do seu choro que ninguém mais sabe.
E foi você que me consultou, lembra-se?
E o meu diagnóstico é esse aqui:
Use o bisturi espiritual e corte o seu orgulho.
A morte toda hora lhe rouba vários pacientes.
E você nada sabe do que rola depois com eles...
E a morte também lhe roubou amigos preciosos.
Então, recupere sua fé e se cure.
E nunca deixe de olhar o céu estrelado.
Mas veja com o coração para sentir algo mais...
Talvez, o Amor de seus amigos, algures...
Ou o toque do Grande Espírito nas estrelas.
O mesmo toque sutil - que toca você através da vida.
Continue sendo o excelente médico que você é.
E agradeça a Deus por sua missão de curar.
Pois, se você é médico do corpo, Ele é Médico da Alma.
E lembre-se: eu não sou doutor em nada!
Eu só sei dessa certeza que trago em meu coração.
Que me faz sentir e escrever, novamente...
QUE ELES NÃO MORRERAM!
.
Paz e Luz.


Wagner Borges  
(Mestre de nada e discípulo de coisa alguma)
São Paulo, 08 de Outubro de 2011.

.
- Notas:
Esse texto fará parte de um novo livro sobre vida após a morte que publicarei daqui a alguns meses (com diversos textos alusivos à temática da imortalidade da consciência).
Obs.: Esses escritos estão direcionados especificamente para um médico (que, naturalmente, tem o seu nome e condição preservados aqui), mas o seu conteúdo poderá ser útil para reflexões de outras pessoas. Então, disponibilizo-o em aberto para todos.
Esclareço, ainda, que sou amigo de vários médicos em sua maioria, estudantes de temas espirituais também, que romperam suas limitações técnicas e ampliaram o discernimento para outras consideracões além da Medicina convencional.
Enquanto eu passava essas linhas a limpo, lembrei-me de um dos textos inspirados do grande filósofo brasileiro Huberto Rohden. Deixo o mesmo na sequência, como complemento desses escritos que fiz hoje.
.
.
Quando eu era meu

Autoria: Huberto Rohden 
.
Quando eu era ainda meu,
Não era de ninguém.
Era escravo de tudo que chamava "meu",
Porque o meu pequeno eu despertara,
Tirânico,
E meu grande EU dormia
O sono da ignorância.
Muitos objetos envolviam
O meu sujeito,
Assim como as grades do cárcere
Circundam o prisioneiro.
E eu chamava "meus"
Esses objetos em derredor.
Cuidava possuir esses objetos,
Mas era por eles possuído.
E eles me vedavam o egresso
Da prisão do meu ego
E o ingresso
Na liberdade do meu EU.

Nesse tempo não sabia eu
Que o grande EU
É o melhor amigo do pequeno ego,
E que o pequeno ego é o pior inimigo
Do grande Eu.
Jamais olhara para além das fronteiras
Do ego humano,
Esse objeto visível,
E por isto, ignorava, ignorantemente,
Meu EU Divino,
Esse sujeito invisível.
Eu pertencia totalmente
A mim mesmo,
Ao meu ego conhecido,
E, por isto, era a minha vida estreita,
Como um casulo em que dormia
A borboleta do meu Cristo interno.

Finalmente, graças ao bafejo solar
Da graça,
Deixei de ser casulo inerte...
Rompi as paredes de seda do meu ego,
Porque empecilho me era hoje,
O que auxílio me fora ontem.
Expandi as asas na luminosa amplitude
Do amor universal,
Para cima,
Para os lados,
Para baixo,
Envolvendo em suave benquerença
Todos os mundos de Deus,
Depois que o Deus dos mundos
Me vitalizou com seu Amor...
.
.
(Texto extraído do inspirado livro Escalando o Himalaia, uma das grandes obras do genial filósofo brasileiro Huberto Rohden, Editora Martin Claret.)
Obs.: Ver a coluna dedicada a Huberto Rohden em nosso site, na seção de Multimídia, no seguinte endereço específico:  Clique aqui
.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...